Translate This Blog To Your Language!

Gostou? Então curte aí no FaceBook!

domingo, 20 de novembro de 2011

PUDE TE ENSINAR A VOAR...


Encerra-se um ciclo.

Durante três anos, praticamente, acostumei-me a ver alguns rostos que, com o passar do tempo, iam ficando cada vez mais familiares. Durante esses três anos, meus olhos não conseguiram distinguir tanto as mudanças que lhes ocorriam, tão comum à fase vivida. Quando me dei conta, estavam um pouco diferentes. Eles com um pouco a mais de barba e músculos. Elas com andar de mulheres e olhos penetrantes. Para onde foram aquelas crianças? Espero, do fundo do meu coração, que para canto nenhum. Permanecem ainda neles, guardadas num local especial do Espírito. Sem elas, eles não serão os mesmos. Não serão os que eu conheci e não serão aqueles que me cativaram. Ahhh Dona Raposa... Você e sua ideia maluca de "cativar"... Cá estou eu agora, que nem tu... com o peito dolorido. É... eu sei que valeu a pena. Eu sei que a escola não costumava representar muito para mim, e que agora, por causa deles, sempre que eu encontrar uma sala de aula, lembrarei deles. Foi bom que eles me tenham cativado. Eu creio que os cativei também. Somos únicos uns para os outros.

Tudo começou em 2009.

 1ª Série de 2009 - CAdE

Eu entrei em uma sala de aula cheia de "crianças"... Tive que aprender a lidar com eles. Não tive muitas escolhas, e não foi muito difícil. Decidi ser eu mesmo. Parece que deu certo. Foi um ano de aprendizados. Naquele ano nós já nos tornamos amigos. Brigamos uma vez, é bem verdade. Mas como toda verdadeira amizade, tudo se consertou.

Foi um mundo de descobertas e aprendizados. Das duas partes, que fique claro. Descobri uma qualidade minha que não sabia que era tão forte: sou paciente! Nos divertimos em sala de aula, cantamos, sorrimos, fizemos festa, ajudamos uns aos outros. Tivemos até uma música tema (Por quem os sinos dobram - Raul Seixas): "Coragem, coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz, coragem, coragem, eu sei que você pode mais!

Terminamos o ano muito bem. Nas férias a saudade se fez presente e em 2010 começamos o ano com uma surpresa:

2ª Série A e 2ª Série B

2ª Série A - 2010

Duas turmas agora (acrescentando-se a elas os muito bem vindos novatos). O que era bom, conseguiu ficar melhor. Duas turmas. Quatro aulas semanais em cada. Oito horários por semana para eu estar com eles (e ainda ganhar pra isso?? Estou na Profissão certa!).
Aos poucos cada turma (agora um pouco mais crescidos e maduros) foi mostrando suas características. A rivalidade nasceu, mas mal sabiam elas que eles dividiam comigo a mais linda de suas qualidades: AMIZADE. Mostraram-me como duas turmas tão diferentes podiam me conquistar de uma forma tão linda. Tão preciosa. E conquistaram!

2ª Série B - 2010

Crescemos em cada Momento de Reflexão. Paramos a aula algumas vezes para conversar sobre a vida. Dividimos nossos problemas. E aí veio o primeiro baque para mim... Quase nenhum deles soube. A "psicologia" dizia que não era saudável o relacionamento mais próximo entre Professor e Alunos. "Se o Professor estiver sentado em um local fora da escola, e um aluno aparece, o 'código de ética' do Professor diz que ele deve se levantar e ir embora!" Eu concordei com a cabeça, em silêncio. O que falar diante de tamanho absurdo? Para mim, "Código de Ética" do Professor é entender o aluno. É ajudá-lo se preciso for e respeitar o espaço que pertence apenas ao próprio aluno. Ele tem família. Ele tem pais. Ele tem amigos. Mas se nenhum desses grupos o ajudarem, a quem ele deve recorrer? No meu caso, seguindo o MEU "Código de Ética", ele tem o Professor. Mas não vou negar que deste pequeno caso, aprendi alguma coisa, e isso foi muito bom também.

Chegou o final de 2010, e com ele o primeiro baque da separação. Os meus primeiros alunos, a primeira turma que lecionei por todo um ano, estava crescida. Estavam indo, em 2011, para o Pré-Vestibular. Eles iriam escolher o que queriam ser "quando crescessem"... Tão estranho pensar que o "quando crescessem" havia chegado. Doeu. Doeu sim e não tenho vergonha em dizer. Choramos, as duas turmas, no último dia de aula. Nos abraçamos. Agradecemos. Sorrimos também. Uma nova fase estava para começar. E começou...

3ª Série de 2011

 3ª Série de 2011

Eles se reuniram novamente em turma única. Alguns tiveram que sair por motivos justos. Outros que eu nunca consegui entender... e esses fizeram tanta falta. Os Professores mudaram. Eu me tornei mais Amigo do que Professor. Aos poucos, o nome "Professor" ia sendo deixado de lado (até com um pouco de incentivo meu), e "Sensei" foi prevalecendo. Virei o Professor de plantão de dúvidas! Antes da prova começar, se me viam parado em algum canto, logo sentavam junto para que eu tirasse alguma dúvida pendente. Isso me agradava. De alguma forma parecia que 2009 e 2010 estavam de volta. Mas não estavam. Ao soar do toque, eu ia para uma sala diferente da deles. Sala dos Professores? Nunca gostei muito. Sempre chego meia hora antes do toque e fico no banquinho do pátio da escola, distribuindo "bom dias" aos que vão chegando.

Um dos fatos curiosos de 2011, foi a aproximação com estudantes que sequer foram meus alunos. Alguns deles, de um instante para outro, pareciam ter cursado os anos anteriores comigo, e isso foi muito bacana!

Ano de Vestibular... muitos ficaram mais sérios, e a medida que o final do ano ia chegando, a preocupação era o sentimento mais nítido em seus rostos. Mas outro tipo de perturbação me incomodava. Justamente o final do ano. Tá, tudo bem que eles não eram mais meus alunos, mas ainda assim o encontro era semanal na escola. E em 2012? Como será? Simples... será diferente. É como se desde o início, eu os tivesse ajudado a cruzar uma Ponte. Durante dois anos os ajudei. No terceiro, eles conheciam o caminho pelo qual deveriam seguir, e na verdade surgiram até outros guias. Eu tinha que voltar ao início da Ponte para ajudar outro grupo que precisava atravessar também. Entretanto, mesmo do outro lado da Ponte, ainda dava para segui-los com o olhar. Ahhh e eu segui sim! Eles saíram das minhas mãos... Mas nunca de meus olhos. Ainda cuidava de muitos deles dessa forma.

Acontece que a partir de agora eles não estarão mais ao alcance de minha visão. E agora? E se passarem por algum aperto? E se precisarem de um conselho? E se tiverem vontade de chorar e não encontrar pessoas ao redor para ajudá-los? ... E agora? Agora é com eles próprios. Têm suas próprias pernas. Têm seus próprios braços. Terão seus próprios ferimentos. Terão seus próprios aprendizados. Não posso mais dizer onde está o caminho mais longo, ou o mais difícil ou onde pode haver armadilhas. Terão que VIVER!

Não posso ser egoísta! Na verdade, não sou!  Sei como é difícil, mas também sei como será necessário. Minhas mãos não os alcançam mais. Meus olhos não os alcançam mais. Será meu Espírito que estará algumas vezes com eles. Sim... este é Maior. Este tem essência divina. Pode estar em qualquer lugar que eu queira. E já sei onde quero que ele faça uma visita sempre: Ao lado deles!

Resta-me a guardada esperança que eles estarão bem. Que nos encontraremos em qualquer lugar, seja num supermercado ou num veraneio anos à frente. Resta-me a vontade de torcer para que quando este dia chegar, os encontre bem. Restam-me as lembranças. Restam-me as Saudades. Assim como restam-me os reencontros.

1ª Série CAdE - 2009 (as mesmas 2ªs Séries A e B de 2010 e a 3ª Série de 2011) : Saibam que vocês me fizeram perceber que eu amo a minha Profissão. É hora de dar um "Até logo" mais demorado. Mas não será  o último! O reencontro é certo para os que são AMIGOS.

Um ditado uruguaio finaliza bem esta postagem:

"Pude te ensinar a voar... Mas não posso seguir teu vôo!"

Que Deus os guarde por todo o Sempre.
Amém!

Vídeo em homenagem a vocês, com uma parte da nossa História de três anos...

9 comentários:

  1. obrigado sensei.Chorei d+ aki kkkk

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, primo! Sorte dessas pessoas que tiveram a oportunidade de te ter como professor e amigo. Sorte minha de ter alguém na familia com uma missão tão gloriosa como a sua e que a cumpre tão divinamente, com amor nos olhos e no coração...Um orgulho! Glêdys

    ResponderExcluir
  3. Obrigado sensei, sentirei sua falta, mas creio que a vida dará um jeito de nos unimos de novo, nem que seja em encontros rápidos, até breve. Larissa Cristina

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito e emocionante!!! Aprendi muita coisa contigo também este ano, não apenas o conteúdo escolar, mas também o extracurricular, nos fez refletir muitas vezes e até chorar, foram momentos muito legais, vamos nos encontrar sim, assim como a Larissa disse, nos ajudou a ser mais humanos, obrigado por tudo!

    ResponderExcluir
  5. LINDO TEXTO SEM MAIS ! e você me ensinou a amar mais história ! sempre irá está na minha memória e no meu coração , nunca irei esquecer do excelente professor que tu és . obrigada por tudo ! Thais Yost

    ResponderExcluir
  6. OMG! Preciso nem dizer que chorei horrores né? Eu choro com tudo.
    Foi muito lindo, obrigada de verdade Sensei, por alem de ser um professor incrivel, ser esse amigo/irmão mais velho maravilhoso e carinhoso quem sempre se preocupou com a gente, mesmo quando não mereciamos.
    Isso não é um adeus. Ja dizia Alvo Dumbledore. *-*

    ResponderExcluir
  7. Parabéns por mais um texto perfeito, estou muito orgulhoso pelo que vc fez e pelo que faz! Que pena que eu não tive um professor que nem vc, deve ser por isso que até hoje eu odeio História!hehehe Abração!!! Riquinho

    ResponderExcluir
  8. teem o que falar não, só agradecer por esses TRÊS anos na sua companhia... Mas num vai acabar por aqui não, se Deus quiser.. Muitos pasteeis de choco vão entrar ainda XDD [jurofurarmenosxD] .. Muito Obrigado!

    ResponderExcluir
  9. Eita meu amigo, como é bom saber que somos e fomos importante na construção de um ser humano melhor né vero?! Vc com seus alunos e eu com meus pacientes... Imagino a saudade que deve dá, aconteceu o mesmo comigo quando sai do antigo trabalho. Mas é assim a estrada é longa e temos que seguir o fluxo, e é assim que vamos encontrando novos e bons desafios.
    Éhhhh fiquei com nó na gargantaaa, rsrs... Lindo texto.

    ResponderExcluir